Clica aqui e adiciona-me aos teus favoritos




O meu arquivo:

<< October 2017 >>
Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat
01 02 03 04 05 06 07
08 09 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31





O tempo não pára:



Nome: Moon Priestess a.k.a. Aislin
Idade: 29
Signo: Virgem
Cor: Depende do dia, do estado de espírito, mas tenho uma tendência para o preto e, estranhamente, para o branco, também gosto do rosa, do turquesa...enfim, desde que não me falem em laranja, amarelo e verde alface...é na boa!
Aquilo que me faz sentir bem: O Mar; a Lua; o Sol; os golfinhos; estar perto de alguém querido; a amizade verdadeira (tão rara hoje em dia); um belo banho; e por ai fora...
O que me faz sentir mal: A falsidade que existe no mundo; a traição, seja de que natureza fôr; a hipocrisia; a falta de amor...
Interesses: Bem...agora é que tudo se torna complicado pois são muitos...desde a mitologia grega passando por tudo o que é místico; a idade média; o Esoterismo; o culto da Deusa; As Brumas de Avalon (adorei os livros e o filme); o antigo Egipto; as Artes Marciais; o Budismo; Poesia; História; etc., etc....
Passatempos: Adoro ler, apesar de não o fazer tanto quanto desejaria. A praia. E claro, os meus blogs!!


O meu selo:

Entrem nesta viagem até à Lua!

O meu award:

Mereceu

Se quiseres o meu award ou o meu selo é só mandar um E-mail e pedir o código



O Meu blog de poesias:


em renovação


O meu blog com a Meia Lua:

Visitem


Conheçam a minha heterónima e o Meu Lado Lunar:
Aislin

*Versão 1*

Visitem!

*Versão 2*

Visitem!



O Som da minha alma:

Lithium - Evanescence


Lithium - Don't want to lock me up inside
Lithium - Don't want to forget how it feels without
Lithium - I want to stay in love with my sorrow
Oh but God I want to let it go

Come to bed, don't make me sleep alone
Couldn't hide the emptiness you let it show
Never wanted it to be so cold
Just didn't drink enough to say you love me

I can't hold on to me
Wonder what's wrong with me

Lithium - Don't want to lock me up inside
lithium - Don't want to forget how it feels without
lithium - I want to stay in love with my sorrow

Don't want to let it lay me down this time
Drown my will to fly
Here in the darkness I know myself
Can't break free until I let it go
Let me go

Darling, I forgive you after all
Anything is better than to be alone
And in the end I guess I had to fall
Always find my place among the ashes

I can't hold on to me
Wonder what's wrong with me

Lithium - Don't want to lock me up inside
lithium - Don't want to forget how it feels without
lithium - Stay loving you
Oh I'm gonna let it go






Os sons que já se ouviram na Lua:

*Anywhere - Evanescense*

*My Immortal - Evanescense*

*In Perfect Harmony - Within Temptation*



Citações:



A Lua neste momento:



moon phase
 



Image hosting by Photobucket


Os meus amigos

Fragmentos da Lua
Bruxinha da Lua
Doryanne
About Last Night
Sopros Lunares
Elô Eternamente
Eclipse
Blogalizei-me
Palavras ao Vento
Recanto dos Ciganos
Feitiço da Lua
Escrevinhando com o coração

Image hosting by Photobucket
Sites com brilho lunar:

Anne Geddes
Mais Blog
Vickys Place
Giffs para Você
Várias Coisinhas
Mistérios Antigos
Gifs Ahimsa
Magia Gifs
Duirwaigh Gallery
Doce Veneno
Cute Colors
Dra Robs Hp
Kiss Design
Templates by Marina
Evanescence - Site Oficial
Blinkies e Dolls
Senhora da Lua
Melodi@
Saint Fantasy
Spectrum Gothic
Gothic Sanctuary
Elis Lily Home Page
Comunidade Blogueira
Buttons e Dolls
Giffs
Enchanted Art
Imaginary Template
Templates by Maximus
Templates Caprishu
Giffs By Meia Lua


Image hosting by Photobucket
Selos amigos:

Visitem a Bruxinha da Lua

Visitem Fragmentos da Lua


Visita o meu Céu












Awards que ganhei:




Concursos:

Não participio em nenhum, de momento!


Classificações:






Top 15

Estou no Top 25








Reflexos Lunares:



















Visitas:




If you want to be updated on this weblog Enter your email here:



rss feed



Monday, July 23, 2007
Ricardo Reis

 

Sábio é o que se contenta com o espectáculo do mundo,

     E ao beber nem recorda

     Que já bebeu na vida,

     Para quem tudo é novo

     E imarcescível sempre.

 

Coroem-no pâmpanos, ou heras, ou rosas volúteis,

     Ele sabe que a vida,

     Passa por ele e tanto

     Corta à flor como a ele

     De Átropos a tesoura.

 

Mas ele sabe fazer que a cor do vinho esconda isto,

     Que o seu sabor orgíaco

     Apague o gosto às horas,

     Como a uma voz chorando

     O passar das bacantes.

 

E ele espera, contente quase e bebedor tranquilo,

     E apenas desejando

     Num desejo mal tido

     Que a abominável onda

     O não molhe tão cedo.

  

 

        19-6-1914


Posted at 09:05 pm by MoonPriestess
(2) Navegaram pela Lua  

Sunday, March 11, 2007
Oriflame

 

Olá, fugindo a tudo quanto é normal neste blog, venho hoje aqui fazer "publicidade" à minha última criação... http://anachamorro-oriflame.blogs.sapo.pt/ ... Passem por lá e divulguem...obrigada.

Beijinhos e boa semana!!


Posted at 01:43 pm by MoonPriestess
(1) Navegaram pela Lua  

Sunday, January 21, 2007
Brida - excerto

"(...)- Então de que vale procurar? - perguntou ela.
- Não procuramos. Aceitamos, e então a vida passa a ser muito mais intensa e brilhante, porque compreendemos que cada passo nosso, em muitos minutos da vida, tem um significado maior do que nós mesmo...(...) Entendemos que existe um motivo para estarmos aqui, e isso basta.(...)"
 
 
in Brida de Paulo Coelho 


Posted at 08:45 pm by MoonPriestess
(2) Navegaram pela Lua  

Wednesday, October 18, 2006
Amor sem amar

"Os amantes arrependem-se do bem que fizeram, quando o seu desejo já se exinguiu, ao passo que aqueles que não têm amor nunca tiveram a oportunidade de se arrepender; pois não é sob o jugo da paixão, mas voluntariamente, e conduzindo bem os seus interesses, sem ultrapassar os limites dos seus próprios recursos, que eles fazem bem ao amigo. Além disso, os amantes repassam na mente os danos que o amor lhes causou nos negócios e as liberalidades que eles fizeram, e, acrescentando a isso a dor que sentiram, julgam que há muito tempo que têm vindo a pagar o preço dos favores obtidos. Já aqueles que não estão apaixonados não podem nem usar como pretexto os seus negócios negligenciados por causa do amor, nem alegar as intrigas dos familiares, de modo que, isentos de todos esses aborrecimentos, eles só têm que se empenhar em fazer tudo o que acham que deve agradar ao seu bem-amado."

Platão, in 'Fedro'


Posted at 11:12 am by MoonPriestess
(4) Navegaram pela Lua  

Wednesday, October 04, 2006
A felicidade exige valentia.

"Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes mas, não

esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo, e posso evitar que ela

vá à falência.

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios,

incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos

problemas e se tornar um autor da própria história.

É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no

recôndito da sua alma.

É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter

medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para

ouvir um "não". É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

Pedras no caminho?

Guardo todas, um dia vou construir um castelo..."

Fernando Pessoa - 70º aniversário da sua morte


Posted at 03:38 pm by MoonPriestess
(3) Navegaram pela Lua  

Tuesday, September 12, 2006
Adeus meus sonhos

Adeus, meus sonhos, eu pranteio e morro!
Não levo da existência uma saudade!
E tanta vida que meu peito enchia
Morreu na minha triste mocidade!
Misérrimo! Votei meus pobres dias
À sina doida de um amor sem fruto,
E minh'alma na treva agora dorme
Como um olhar que a morte envolve em luto.
Que me resta, meu Deus?
Morra comigo
A estrela de meus cândidos amores,
Já não vejo no meu peito morto
Um punhado sequer de murchas flores!

Álvares de Azevedo


Posted at 09:01 am by MoonPriestess
(1) Navegaram pela Lua  

Wednesday, August 30, 2006
A Cruz de Caravaca


A Cruz de Caravaca apareceu, segundo a lenda, pelas mãos de anjos, numa cerimónia oficiada perante um Rei mouro.

Corria o ano de 1232 e Dom Ginés Pérez Chirinos, sacerdote, era prisioneiro do Rei mouro Ceit Albuceli, por pretender levar a sua fé, aos “infiéis”. Curioso o Rei pretendeu que cada um dos seus prisioneiros lhe mostrasse como desempenhava o seu ofício. Ginés disse-lhe que era sacerdote e o Rei quis que, perante ele e os seus vassalos, demonstrasse como difundia a sua fé. O sacerdote, então, pediu-lhe as vestes cerimoniais para celebrar a missa, que lhe foram trazidas por emissários do Rei. Ao começar a rezá-la, Ginés alterou-se e não conseguia dizer palavra. Quando lhe perguntou o Rei o que se passava, respondeu-lhe que lhe faltava a Cruz e que, sem ela, não poderia continuar a oficiar. Para espanto de todos, quando o Rei levanta os olhos, vê baixar dois anjos que transportam nas mãos um objecto e pergunta-lhe se era esse objecto, a Cruz que lhe fazia falta. Ao ver o milagre, o sacerdote ajoelhou-se em sinal de respeito e continuou a rezar a missa. Este episódio marcou a vida do Rei mouro, que pouco tempo depois se converteu ao cristianismo, com toda a sua família. Diz também a lenda que a cruz é feita com o madeiro em que Jesus foi crucificado.

O significado esotérico da Cruz é: a cruz do espírito (a linha vertical) e o plano material (linha horizontal), tendo como resultado o Homem, que é um ser que se move no plano material com opção para ascender ou descender espiritualmente. Isto implica que, em muitas ocasiões, necessite protecção e, uma das melhores formas é levando a cruz, que lhe recordará a sua posição na escala evolutiva e, desta maneira faz com que se centre no cruzamento do espírito com a matéria.

O ritual de preparação da Cruz para lhe conferir todo o seu poder faz-se do seguinte modo: Durante três dias, três vezes ao dia unge-se a cruz com algum tipo de óleo próprio para rituais. Nos quatro dias seguintesfar-se-á o seguinte: Com a Cruz deitada, coloca-se todos os dias uma vela vermelha, junto de cada um dos extremos verticais da cruz; uma vela azul, nos extremos horizontais do pau menor e, uma vela amarela nos extremos do pau horizontal maior. As velas devem acender-se diariamente e, queimar-se um sahumério “Cruz de Caravaca” e depois recitar a litania, além disto, no sétimo dia dir-se-á em voz alta: “Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, eu consagro a minha cruz para que me traga felicidade, amor, abundância e me proteja de todo o mal”.

Depois de devidamente preparada pela pessoa que a vai usar e de efectuados os rituais correspondentes, pode começar-se a usar a cruz. O seu poder aumenta à medida que se preparem cruzes para oferecer a outras pessoas.

 

***Beijokas e bom resto de semana...***


Posted at 12:17 pm by MoonPriestess
(1) Navegaram pela Lua  

Wednesday, August 23, 2006
Regresso ??

E foi assim, ao longo das muitas tardes em que fico a trabalhar até mais tarde, que a vontade de voltar a blogar regressou aos poucos e foi ficando cada dia mais forte...

Nunca sei se vou ter tempo, se vou ter vontade mas sei que hoje me apeteceu e será assim... Só peço para não ficarem aborrecidos caso fique muito tempo sem postar pois realmente não tenho muito tempo livre para o fazer...inda por cima agora não tenho net em casa, enfim!

Apenas mais uma notinha para agradecer a todos os que por aqui passam sempre mesmo sem novos post...prometo que aos poucos vou revisitar todos os meus "velhos amigos" blogueiros porque tenho saudades das vossas casas mágicas.

Vemo-nos por ai...

** Beijinhos mágicos **

 

 


Posted at 07:01 pm by MoonPriestess
(1) Navegaram pela Lua  

Monday, June 19, 2006
Hiatus

 

É com muita pena que venho colocar os meus blogs em Hiatus mas realmente

não faz sentido ser de outra maneira.

Comecei um novo emprego e estou ainda a aprender a organizar o tempo,

como tal não sobra muito para os blogs. Assim, penso que é mais correcto avisá-los a todos...

Apesar de ser por tempo indeterminado não será certamente para sempre...

um dia eu volto...

 

Beijinhos grandes para todos!!


Posted at 09:00 pm by MoonPriestess
(1) Navegaram pela Lua  

Monday, April 17, 2006
Taoísmo

Nem vou pedir desculpas pela ausência pois o tempo é mesmo pouco e apesar de quase todos os dias espreitar os cantinhos, a vontade de postar é pouca...

Enfim...Beijinhos e boa semana!

 

“Aquele que conhece aos outros, é inteligente.

Aquele que conhece a si mesmo, é sábio.

Aquele que conquista os outros, tem força.

Aquele que conquista a si mesmo, é a própria força.

Aquele que conhece o contentamento, é rico.

Aquele que é determinado, tem força de vontade.

Aquele que não perdeu o domicílio, dura.

Aquele que morre mas não perece, é eterno.”




O Taoísmo tem as suas origens há mais de 5000 anos, na China, constituindo um sistema integral de conhecimento, com aspectos filosóficos, religiosos, sociais, pragmáticos e mesmo de manutenção da vida humana.

Baseia-se fundamentalmente no Tao (pronuncia-se “dau”), cuja tradição limita a sua própria realidade, que é ilimitada. Entretanto, os termos mais usados são: caminho, via, sentido. “Tao” ainda lembra “Teo”, e a pronuncia “dau”, arqueometricamente, é “regra”, “lei”.

Se, por uma lado, Tao é o caminho para a Essência, por outro lado é a própria Essência. É o caminho ou sentido, que conduz ao próprio Tao, o Todo que está por dentro e por fora de todas as coisas.

Antes de tudo, existia o Tao, este diferenciou-se, dando origem a Yin e Yang. Yin era mais pesado e deu origem à Terra. Yang era mais leve e subiu, dando origem ao Céu. Entre estes dois princípios, surgiu o Homem, considerado o terceiro elemento desta tríade. Yin é tudo o que é passivo, feminino, húmido, a Terra, a morte, a lua, a noite; Yang é tudo o que é activo, masculino, seco, o Céu, a vida, o sol, o dia. Estes dois princípios estão em tudo que existe e um contém em si a semente do outro, formando o clássico signo taoísta do Tai Chi.

De Yin e Yang surgiram os cinco elementos que formam todas as forças e energias: Terra, Metal, Água, Madeira e Fogo, que se organizam em ciclos complexos de produção e destruição. As estações da natureza, os órgãos do corpo – os ciclos relacionam-se com cada um desses elementos.

Outra característica marcante do Taoísmo é o princípio da Mutação configurado em sistema filosófico, metafísico e oracular no I Ching – O Livro das Mutações – atribuído ao ancestral HO-HI. Por esse princípio, nada é estático, tudo se move, se transforma continuamente no seu oposto, ressaltando a transitoriedade e, ao mesmo tempo, a dialética da existência. Nos trigramas do I Ching, as linhas Yang (contínuas) transformam-se em Yin (partidas) podendo um trigrama ou hexagrama demonstrar a sua tendência em transformar-se no outro.

Outra característica da visão taoísta do mundo, é a questão do paradoxo. A grande virtude é a não-acção activa, ou wu-wei. O não-ser vale mais do que o ser. O valor de um vaso está justamente no seu vazio: uma vez cheio, já não serve como vaso. Da mesma forma, uma janela tem a sua essência no vazio: no não-janela. O Tao é o “não produzir, produtor de tudo o que existe” – a fonte de todas as coisas. O não é a essência; o sim, a substância.

No Taoísmo, de acordo com o Tao, é saber viver no sentido da corrente natural e não lutando contra a maré.

"Tao" está ligado a "Te", o poder de levar o Tao a realizar-se em todas as coisas. "Te" é a realização, o poder ou, simplesmente, a vida. Um dos livros mais fundamentais do Taoísmo é o Tao Te Ching – "O Livro do Caminho e da Vida" ou, o "Livro do Sentido e da Vida". Foi escrito por Lao Tzu que viveu por volta do séc. VI a.C., contemporâneo de Confúcio, Buda e outros.

Lao Tzu não é um nome, é uma alcunha (talvez um título) que significa “criança velha” ou ainda “ancião”. O seu nome de família era Li, extremamente comum na China; na juventude, era Erl (orelha); como erudito, era Be Yang, o "Conde Sol" e, após a sua morte, Lau Dan, o “velho professor” ou a “velha orelha comprida”. Era activista do reino, grande sábio e igualmente humilde. Descontente com a situação política, resolveu sair do reino e, ao transpôr a fronteira, montado num boi preto, o guarda pediu-lhe que deixasse algo de valor. Sentou-se e escreveu o Tao Te Ching, na forma de 81 poemas, com mais de cinco mil símbolos e um tratado taoísta dos mais profundos que a Tradição manteve vivo até hoje.

Além de um carácter metafísco incomparável, o Tao Te Ching ainda apresenta um aspecto de orientação social, explicando a maneira correcta de governo, através do princípio wu-dei. Ainda assim, é diferente do Confucionismo, mais evoluído com os preceitos e a vida práctica. Onde o confucionista pergunta “O que devo fazer ?“, um taoísta pergunta “que tipo de pessoa devo ser ?”. O próprio Confúcio venerava Lao Tzu e, no seu encontro lendário com o Mestre, comparou-o a um Dragão que se elevava acima das nuvens, inalcançável na sua profundidade.

Seguindo-se a Lao Tzu, embora este tenha fundado uma escola iniciática e, continuando os seus ensinamentos, surgiram várias figuras importantes no Taoísmo, como Lie Tzu, Liu Ling, Chuang Tzu e outros.

Disse o taoísta Lui Ling: “Adoptei o Universo inteiro como minha casa e o meu próprio quarto como minhas roupa”... Um segundo trabalho importante é o de Chuang Tzu que influenciou o desenvolvimento do Taoísmo filosófico (Tao-Chia). Contudo, o Taoísmo, em épocas posteriores, também se desenvolveu religiosamente, com rituais, especialmente de cura, exorcismo e festas.

No Taoísmo religioso, chamado Tao-Chiao, a busca da imortalidade é muito importante. Como toda a natureza está unida ao Tao, a imortalidade não pode ser atingida libertando-se ou desprendendo-se uma parte do todo, como uma alma. Ela só pode ser alcançada pelo direcionamento apropriado das forças naturais que existem dentro do corpo. Pelo exercícios respiratórios (ch’i gong, pelo controlo e comando da energia sexual, pela alquimia, pelo comportamento e pela busca do caminho dos Imortais e das Ilhas dos Abençoados). O Tao-Chiao é composto de muitos movimentos e seitas e tem um vasto cânone ou colecção oficial de textos autorizados. Na China tradicional, o Taoísmo regula muitas festas na comunidade, além de realizar curas e exprcismos por meio da perícia ritual de oficiantes religiosos, os sacerdotes. No exorcismo, enfrentam ritualmente fantasmas ou espíritos turbulentos e buscam controlar os perigos e excessos das forças Yin, invocando as forças superiores Yang, assegurando a harmonia cósmica, social e pessoal. É apenas para raros adeptos ou mestres que a harmonia do Tao é atingida por meio da total canalização de energias e do alcance da imortalidade. A imortalidade pode ser intrepretada literalmente (conquistar um corpo durável para sempre), ou simbolicamente (atingir a liberdade espiritual e espontaneidade sem esforços).

Para o Taoísmo, as crenças de que o Tao é o princípio imutável que rege o Universo e de que o segredo da vida é viver de acordo com o Tao, “quem nunca age, embora nada permaneça por fazer”, são centrais.

O Tao integra uma trilha mística de naturalidade e acção espontâneas, adstrita à filosofia política de inacção criativa, ou wu-wei, na qual o governante não procura impôr ou dominar os negócios de interesse nacional ou do Estado. O Tao Te Ching endossa a versão espiritualizada da imortalidade, vista como emergente de uma vida harmoniosa e natural em que se dá pouca importância ao ganho material.

Posted at 09:58 pm by MoonPriestess
(6) Navegaram pela Lua  

Next Page